AECA reúne em Assembleia Geral – Eleitos os Órgãos Sociais para o quadriénio 2021-2024

Posted: 29 Outubro, 2020-Likes: 0-Comments: 0-Categories: Notícias

No passado dia 27 de outubro a Assembleia Geral da Associação Empresarial de Cambra e Arouca reuniu na sala polivalente da Biblioteca Municipal de Arouca, em Arouca para eleger os órgãos sociais para o quadriénio 2021 – 2024.

Vitor Carvalho nas funções de Presidente da Mesa da Assembleia apresentou a única lista candidata que mereceu a total aprovação dos sócios reunidos em sufrágio.
Os novos Órgãos da Associação são assim constituídos:

Assembleia Geral
Presidente: Geofamília Feliz, Lda – Dora Fernanda Fernandes
Vice Presidente: Gabinete de Contabilidade de A. Martins, Lda – Alfredo Brandão Martins
Secretário: Audicambra – Gestão e Contabilidade, Lda – Maria Isabel Fernandes Soares Rodrigues

Direção
Presidente: Chatron, Lda – Carlos Manuel Fernandes Brandão
Vice Presidente: Inaceinox – Indústria de Equipamentos Inoxidáveis, SA – Abel Martins e Oliveira
Vice Presidente: Gisela Camisão – Sociedade Unipessoal, Lda – Gisela Monteiro Camisão
Tesoureiro: Irmãos Peres, Lda, – Miguel Gomes de Brito Peres
Secretário: M. Vide & Irmão, Lda – Rui Daniel de Oliveira Vide

Conselho Fiscal
Presidente: Inocambra, Lda – António Augusto Soares da Silva
Relator: SDD-Soluções em Madeira Lda – Fernando Marcelo Gonçalves Soares
Vogal: Optiarouca -Artigos de Ótica, Lda – Luís Miguel de Almeida Martins de Bastos

Confirmada a votação procedeu-se à tomada de posse dos novos órgãos diretivos, assumindo de imediato as novas funções, continuando a AECA o seu percurso no desenvolvimento da sua atividade em prol do crescimento sócioeconómico da região.

Carlos Brandão na posse das funções da presidência da direção da Associação Empresarial elege o momento para agradecer aos associados a confiança depositada em si e na equipa Dirigente agora eleita. Agradeceu o contributo prestado pelos elementos que agora cessaram as suas funções e mencionou para além de dar continuidade às atividades em curso da Associação, indicou alguns dos projetos que pretende implementar a breve prazo, destacando de entre outros a continuação da concretização do Master Export, a dinamização dos portais www.aquiearouca.pt e www.comprenovalemagico.pt, projetos de formação/consultoria para Pme’s, sectores do comércio, indústria em parceria com a AEP e Academia PME, assim como para o setor do turismo em parceria com a CTP – Confederação do Turismo de Portugal, entre outros.

Mostrou-se muito confiante com o sucesso do alargamento da AECA a Vale de Cambra e também com a entrada de Associados de outros concelhos da Área Metropolitana do Porto, empresas tecnológicas e de serviços avançados e que vêm trazer mais know-how e mais vitalidade às áreas que pretendemos acelerar na nossa região, nomeadamente a indústria 4.0, a eficiência energética, a economia circular e toda a área do marketing digital e das vendas online. Estes novos associados têm interesse em participar no funcionamento em rede que a AECA instituiu e que tem dado ótimos resultados.

A AECA está muito preocupada com o “período negro”, em termos económicos, que se aproxima e que é resultante da primeira vaga da pandemia, acelerada pela segunda vaga que se faz sentir já em força: “Tudo iremos fazer para aceder às verbas que a comunidade europeia irá enviar, por forma a minorar os problemas económicos dos nossos associados. Estaremos atentos desde o primeiro momento.”

Terminou afirmando que a AECA tem muito “know how” acumulado e tem Empresários Dirigentes, ex-Dirigentes e outros parceiros de muita valia que têm que ser consultados para as principais decisões deste território: “ A economia e o desenvolvimento da região é demasiado importante para ser deixada somente nas mãos dos políticos e dos Autarcas”. Queremos ter sempre uma palavra a dizer quando se fala em desenvolvimento, porque este só acontece à custa das empresas e dos seus colaboradores. Nem sempre isso tem acontecido e por isso iremos estar muito mais atentos no futuro e iremos ser muito mais interventivos. Para que isso possa acontecer sistematicamente esta Direção criou o CCA- Conselho Consultivo da AECA.

O CCA- Conselho Consultivo da AECA é constituído por personalidades, convidadas, de reconhecidos mérito e competência nos vários sectores da economia. Pretende-se que o seu desempenho confira uma maior eficácia ao movimento associativo empresarial da região, através da promoção de reflexões, contribuindo para a promoção de ideias e propostas válidas para o desenvolvimento económico e social.

Constituição do CCA – Conselho Consultivo da AECA – Quadriénio 2021-2024
A.Coutinho II, Lda – Paulo Jorge S. da Silva.
Arouconsult – Consultoria de Gestão, Lda – Vitor Carlos Costa Carvalho
Camarc – Carpintaria e Marcenaria de Arouca, Sa – António Santos Duarte
Farcimar – Soluções em Pré Fabricados de Betão, Sa – Luís Bruno Pinho Teixeira
Fontes, Ribeiro & Fontes, Lda – Vitor Francisco Mota Ferreira Fontes
Geomovilar – Unipessoal, Lda – Fernando Rui Fontes Brandão
Logitron – Automação Industrial, Lda – Paulo Jorge Tavares Vilarinho
M. Ferreira da Silva Guimarães & Ca, Lda – Paulo João da Silva Guimarães
Polisport Plásticos, Sa – Pedro Jorge Pinto Oliveira de Araújo
Serração da Furna – Unipessoal, Lda.- António Jorge Santos Pinho
Tecnocon – Tecnologia e Sistemas de Controle, Sa – António Alegria Coutinho Moreira
Vale Alimentar – Comércio Produtos Alimentares, Lda. – Manuel António da Silva Leite
Vale da Freita – Unipessoal, Lda – Quinta do Pomar Maior – Vânia Sofia Rodrigues Leal
Vieira da Silva & Irmãos, Lda – António Pinho e Silva

Antes de encerrar a Assembleia, Vitor Carvalho, deixou algumas notas e agradecimentos e destacou o papel desenvolvido pela AECA nestas três últimas décadas, o contributo para o desenvolvimento e criação de dinâmicas do concelho de Arouca; nomeadamente o impulsionar da criação de zonas industriais; a modernização do comércio, que deu o seu grande impulso à Arouca que conhecemos e nos habituamos a ver nos últimos vinte anos (lojas modernas, limpas e atrativas), assim como a melhoria dos espaços urbanos adjacentes. Lembrou o contributo para a construção da 1ª fase da via estruturante, lutando lado a lado com todas as forças vivas do concelho para a concretização da obra; que veio a acontecer mais recentemente com a realização da 2ª fase com o troço de ligação de Escariz à A32, releve-se que o argumento e fundamento do Governo para execução desta obra consubstancia-se fundamentalmente com o facto de esta ligação ser uma mais valia para as zonas industriais e competitividade das empresas aí localizadas. Enalteceu ainda, mais recentemente, a consolidação feita de forma sábia entre as empresas dos concelhos de Arouca e Vale de Cambra, gerando os consensos necessários e que tornaram possível a formação da Associação Empresarial de Cambra e Arouca.

Navigation